04 agosto 2009

Ídolos, não o programa...

Ser ídolo de alguém é uma coisa complicada...
A pessoa vira foco de todos os flashes, de todos os olhares, enfim de todo um mundo de fãs que não querem saber de outra coisa que não seja relacionada a seu ídolo.

Aqui nas terras tupiniquins os futebolistas são grande ídolos. Eles são ovacionados pelas multidões que gritam seus nomes, apelidos, alcunhas, que seja, exaltam aquele ser que para eles é um exemplo.

Por exemplo, hoje é aniversário do goleiro Marcos dos porco e temos isso no twitter:

########
http://twitpic.com/crszw - Feliz aniversário pro meu maior IDOLO! *_*


A pessoa em questão é fã do goleiro e de todos os caras que usam verde. Nada contra, mas quantos desses caras que usam verde sabem que essa pessoa existe?

Eu sou fã de outro grande goleiro, o super Rogério Ceni. Tenho quase tudo dele, poster, camisa, cachecol, gols, enfim, muita coisa...

Agora... ele tem meus programas? Hehehehe Ele sabe que de segunda, quarta e sexta temos o ZN aqui nesta blogagem? Ele ao menos sabe que eu existo?

Conhecer ele já me conheceu, pelo telefone, mas tá valendo...

Mas e ae?

Depois de uma certa idade ficamos meio assim com os ídolos. Eles deixam de ser ídolos e são pessoas que merecem uma admiração grande.
Depois de um tempo quando vemos o músico famoso não vamos lá e pegamos um autógrafo, vamos e conversamos sobre o show passado, expectativa do próximo ou coisas da vida...
Depois de um tempo vemos que eles são pessoas como nós...e com a convivência acaba acontecendo uma amizade até...

Me sinto bem melhor podendo conversar com as pessoas que admiro, que acho feras demais.

Por exemplo, quando falei com o Wander Wildner pela primeira vez achava um máximo, depois vi que era um cara com eu, mal humorado, chato as vezes, mas era o Wander... Agora, quando o vejo é como se tivesse conversando com um companheiro de shows, que por um motivo maior, está no palco tocando...

A vida é assim, quem sabe um dia alguém sinta admiração pelo que faço... se não sentirem tudo bem a gente se vê nos shows da vida...

Voltando ao futebol, é impossível um ídolo saber nome por nome, mas não vejo um esforço em sabe-lo, pois quando a torcida quer estar perto do grande jogador há grandes seguranças do lado...

Enfim não me rasgo de amores pelo Air Ceni, como também, hoje, acho bobagem que faz coisas do tipo, afinal deixemos a rasgação de seda para os programa de mesa redonda...

Um comentário:

Sukita disse...

Podia ao menos ter diexado um parabéns pro MARCÃO! huahauahaua *_*

Beijo, Magnão!
Muito bom seu brógui!