13 outubro 2007

Palabras mas, palabras menos


Esperei por muito tempo a oportunidade de falar. Coisas que sinto, que penso, idéias soltas na cachola.
Mas, quando consegui, não sei o que dizer. Fico mudo, atônito.

Queria saber o que dizer quando me lançam uma questão. Ouvir e de bate pronto mostrar meu entendimento, ou questionamento. Talvez, devesse ouvir melhor - já que tenho um problema de audição.Será que alguém quer me dizer alguma coisa?

Espero ouvir uma coisa que mudará minha vida num instante.As vezes cansa, mas sempre quando o sol sobe eu vejo que pode ser diferente, que pode ser melhor.
Sou paciente, mas não consigo me segurar em muitas ocasiões.

Talvez, eu devesse desistir, mas isso seria um atestado de incapacidade de superar problemas.
Mas hoje, sábado eu sinto vontade de sumir para não lembrar das coisas, e de como é dificíl esperar. Com serenidade e calma, adjetivos que outrora desconhecia. Tá vendo? Me perdi nessa metade do caminho, mas me perdi para achar o caminho certo.

Pena que ele fugiu de minhas mãos, como areia escapando entre os dedos.

Um comentário:

.Camila.Caringe. disse...

Não sei, não sei... Mas acho que o caminho não escapou como areia entre seus dedos.
Caminho que é caminho não escapa. A gente é que escapa dele, insiste em não ver, insiste em pegar atalho, insiste em querer um caminho que a gente queria que fosse da gente...
Não sei, não sei... Mas acho que foi você que escapou entre as curvas do caminho...